Juiz mantém prisão de Marcus Machado, suspeito de estupro em Jacobina

Publicado em 08/01/2018 às 20:20h

O juiz Marley Cunha manteve a prisão preventiva de Marcus Machado. A audiência de custódia aconteceu na tarde desta segunda-feira (8), no fórum de Jacobina. O suspeito deve permanecer preso enquanto responde pela acusação de estupro, porém a defesa já anunciou que vai pedir a revogação da prisão preventiva.


Marcus foi preso no dia 31 de dezembro após uma jovem de 18 anos, natural de Senhor do Bonfim, acusá-lo de estupro. A jovem estava com um grupo de amigos em uma boate de Jacobina e, segundo ela, foi violentada sexualmente após ser levada para uma área com pouca movimentação. Marcus afirma que a relação foi consensual, que não houve estupro.

Amiga faz relato
Amiga da vítima, Karen Dantas contou, em entrevista ao G1, que elas foram ao banheiro, mas a jovem demorou para retornar. Depois disso, ela disse que escutou a voz da amiga vindo de uma área escura, gritando ‘para’. “Achei estranho e fui procurar. Sentei um pouco para ver se ela vinha ao meu encontro. Tem uma área de lanches. Eu sentei lá. Aí, eu ouvi de longe a voz dela falando ‘para’. Quando vi, ela estava em um beco, na porta da saída de emergência, ele em cima dela. Ela estava ensanguentada”.

“Ela [vítima] disse que saiu do banheiro e começou a nos procurar. Ela encontrou com ele [suspeito] e perguntou: Você viu? Ele disse que sim, pegou na mão dela e levou para um beco escuro, na saída de emergência”, contou Karen ao G1.

Defesa nega estupro
A defesa nega a versão da acusação e diz ter provas da inocência de Marcus. Porém, ao término da audiência de custódia desta segunda-feira, o suspeito retornou para a carceragem da delegacia de Jacobina. Os advogados de Marcus trabalham para revogar a prisão preventiva dele e acreditam que, em breve, ele ganhará a liberdade.

Repercussão e denúncias
O caso ganhou grande repercussão e notoriedade na imprensa baiana e nacional. Após o caso da jovem que teria sido estuprada na boate, outros dois atribuídos a Marcus vieram à tona. Em uma entrevista em vídeo cedida ao portal Agora na Bahia, uma jovem relatou que também foi estuprada por ele. Marcus também é suspeito de estupro de vulnerável e foi denunciado na cidade de Capim Grosso. A vítima teria sido uma criança de apenas 8 anos. O crime teria ocorrido no ano de 2014.

O delegado coordenador da 16ª Coopin, Dr. Eduardo Brito, disse que só vai se pronunciar sobre o caso após a conclusão do inquérito, que deve acontecer na próxima semana, após 10 dias do início.

 

Fonte: Jacobina Notícias

 

 

 

 

Publicidade

Topo